RESTINGA: A vegetação do litoral

Ela tem função importante para o meio ambiente

Publicidade
Raras restingas encontradas na praia de Maragogi, de frente ao antigo restaurante Gaivotas. (Fotos: Maragogi News).  

No Brasil, as restingas são encontradas ao longo do litoral desde a costa leste do Pará até a costa do Rio Grande do Sul, perfazendo um total de aproximadamente 9.000 km de extensão. Mas existe uma diferença entre restinga e vegetação de restinga. A restinga é uma planície arenosa costeira, de origem marinha, incluindo a praia, cordões arenosos, depressões entre cordões, dunas e margem de lagunas, com vegetação adaptada às condições ambientais. Já a “vegetação de restinga” é o conjunto de comunidades vegetais fisionomicamente distintas, sobre influência marinha e fluviomarinha, distribuídas em mosaico e em áreas com grande diversidade ecológica, sendo classificadas como comunidades edáficas, por dependerem mais da natureza do solo que do clima. As quaresmeiras, orquídeas, cactos, pitangas, bromélias são algumas plantas comuns da restinga. Suas raízes são, na maioria, extensas e superficiais para aumentar a superfície de absorção e contribuir para a fixação no substrato móvel. À medida que se caminha do mar em direção ao continente, ocorre uma redução na concentração salina no solo, o que caracteriza formações vegetais distintas.
 
Quanto à fauna, assim como a flora, são poucas as espécies que nela habitam, pois geralmente as restingas são habitadas por animais tópicos de outros ecossistemas. Contudo, podemos encontrar nas restingas animais como o caranguejo, a viúva negra, o gavião de coleira, o gafanhoto grande, a barata do coqueiro, o sabiá da praia, perereca, entres outros. Cabe salientar também que em zonas urbanas costeiras, a restinga preservada facilita o controle de espécies com potencial para pragas como cupins, formigas, escorpiões e baratas.
 
Essas plantinhas na orla parecem simples, mas tem funções importantes para o meio ambiente. Além de embelezar as praias, a restinga serve de contenção dos grãos de areia que incomodam moradores e resultam no aumento da demanda de limpeza pública. A vegetação é responsável por manter o nível da água no solo, preservando os nutrientes que flora e fauna deste ambiente precisam; evita a erosão causada pelas chuvas; é refúgio para vida silvestre e é local de parada de aves migratórias. Esses e outros tantos benefícios fazem da restinga um ecossistema que precisa ser conservado.
 
Lembrando que uma das formas de degradação é a que resulta da retirada de plantas ornamentais nativas desses locais, como as bromélias e as orquídeas, pois tal prática representa grave ameaça à sobrevivência de muitas espécies. Apesar de ser aceita com muita passividade, na verdade isto constitui crime previsto no art. 49 da Lei nº 9.605 de 12/02/1998.
 
A melhor forma de conservar o meio ambiente é conhecendo-o, por isso não saia destruindo as plantinhas da praia, pois agora vocês sabem a verdadeira função delas no litoral.

Roberta Carvalho é Bióloga/Consultora Ambiental – CRBio8: 59.315/08-D 


 

Mais notícias

Comentários

Carregando

Assine nossa newsletter e
receba as principais notícias por e-mail

Siga o Maragogi News nas redes sociais