Feriadão em Maragogi marca a volta da fomentação turística na cidade

Mas o retorno pós-liberação dos hotéis e pousadas por conta da pandemia é preocupante

Orla marítima de Maragogi lotada (Foto: cortesia)

No último fim de semana, que antecedeu o feriado nacional da Independência da República, nessa segunda-feira (7), Maragogi recebeu um grande número de turistas desde a reabertura, com capacidade reduzida nos hotéis, pousadas e resorts da cidade. Era perceptível por todos os nativos da região a quantidade significativa de visitantes, o que se estendeu a lanchonetes, restaurantes, bares, receptivos e congêneres, os quais tiveram lotação máxima.

Parece que a crise financeira, em razão da Covid-19, não afetou tanto assim as pessoas que tinham Maragogi como destino turístico durante a pandemia. No primeiro grande feriado, já lotaram a cidade, e deram uma prévia do que podemos esperar para alta temporada. Acabou-se o receio gigantesco causado pelo rombo econômico provocado pela pandemia em todo o território nacional. De acordo com o Costa dos Corais Convention Visitors & Bureau (CCCVB), a ocupação hoteleira na região Norte do Estado foi de 100% nos hotéis associados no último fim de semana.

Ao contrário do que se imaginava, que a preocupação em tirar férias seria a última possibilidade em um período tão angustiante como o atual, o prefeito de Maragogi já depositava toda sua esperança no que foi visto nesse feriadão. Em suas redes sociais, ainda no dia 30 de junho, Sérgio Lira ressaltou: "Tenho certeza que, em breve, depois de passada a quarentena e o isolamento social, com suas potencialidades, aliado ao desejo das pessoas de viajarem, Maragogi estará entre os destinos mais procurados". Pelo visto, não precisou passar a quarentena para isso acontecer, e isolamento social parece que se tornou um termo obsoleto com o passar do tempo.

Apesar de todos os benefícios com o comércio, hotelaria, aumento do consumo de bens e serviços, entre outros, nem tudo são flores. A superlotação de uma cidade, nesse momento que estamos passando, apesar de serem notórias as vantagens de se ter uma larga escala de turistas em uma cidade que "respira" turismo como Maragogi, não se pode esquecer que o vírus continua vivo, e ainda é transmissível e mata. Com uma alta quantidade de visitantes, os cuidados em decorrência disso devem ser redobrados, pois se recebe pessoas de todos os lugares, e não foi o que aconteceu nem está acontecendo na cidade.  

As aglomerações sem máscaras, somadas à falta de fiscalização do poder público, e o descumprimento das normas em alguns estabelecimentos, faz com que algum desinformado “caia de paraquedas" em Maragogi pensando que o vírus nunca existiu. Tanto é que, após o feriadão, o cientista do Departamento de Estatística da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Gauss Cordeiro, acredita que os casos de Covid-19 tripliquem, de acordo com a Rádio Jornal de Pernambuco, e Alagoas teve a terceira pior taxa de isolamento social do país nesse feriadão, de acordo com a Gazeta Web.

Mais Notícias

Coment?rios

Carregando

Assine nossa newsletter e
receba as principais notícias por e-mail

Siga o Maragogi News nas redes sociais