Diego Vasconcelos, diretor regional do Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Alagoas

"Se não agirmos urgentemente, nosso turismo entrará em declínio."

Nativo e neto de pescador, Diego Vasconcelos passou toda a infância morando no povoado de São Bento, pertencente ao município de Maragogi. Iniciou sua vida profissional aos 11 anos de idade, quando abriu seu primeiro negócio; aos 13, foi trabalhar de garçom, tendo seu primeiro registro na Carteira de Trabalho aos 18. Aos 19 anos, após concluir o curso de Guia de Turismo, foi trabalhar em uma agência de viagem, onde permaneceu por quatro anos; aos 23, pediu demissão para abrir seu segundo negócio: sua própria agência de viagem. Em paralelo, trabalhou como diretor comercial da Secretaria de Turismo de Maragogi. Aos 25 anos, arrendou uma pousada na vila de Barra Grande, com a qual permanece até hoje; aos 27, abriu seu terceiro negócio, o Meraki Beach Bar, e recentemente arrendou a pousada Kalani. Todos os empreendimentos são na vila de Barra Grande. No início do ano passado, assumiu a função de diretor do litoral norte do Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Alagoas.

(Fotos: arquivo pessoal.)

MARAGOGI NEWS – Como vai o turismo de Maragogi?
DIEGO VASCONCELOS – Acredito que poderia estar melhor. Se não agirmos urgentemente, entrará em declínio, que pode não ter volta.

MARAGOGI NEWS – O que pode ser feito para alavancar ainda mais o nosso turismo?
DIEGO VASCONCELOS – Precisamos investir em infraestrutura, qualificação e promoção do destino.

MARAGOGI NEWS – Qual avaliação o senhor faz do Carnaval de 2019 em Maragogi, em relação a outros carnavais?
DIEGO VASCONCELOS – Pra mim, esse carnaval acendeu um sinal de alerta ao nosso setor. Pude perceber que o público atraído neste ano consumiu menos do que os demais anos, sem falar que vários meios de hospedagem ficaram com disponibilidade, mesmo reduzindo o valor de suas diárias.

MARAGOGI NEWS – Maragogi tem estrutura para receber e satisfazer a todo tipo de turista?
DIEGO VASCONCELOS – Não! Apesar de hoje já termos vários empreendimentos, que oferecem excelente prestação serviço e paisagens naturais únicas, ainda existe muito empreendimentos muito abaixo da expectativa e uma desorganização muito grande em muitas atividades do nosso setor, inclusive atividades econômicas sendo exploradas sem uma regulamentação específica.

MARAGOGI NEWS – O segundo polo turístico do estado sobrevive das piscinas naturais. Se um dia os órgãos ambientais encerrarem as visitações às piscinas, de que sobreviverá o turismo de Maragogi?
DIEGO VASCONCELOS – Iria ser uma perda inestimável, com grandes prejuízos não só pra gente, mas para o turismo do nosso estado e do nosso país. Porém, não acredito que acabe nosso turismo, porque temos outros produtos turísticos de grande relevância, como, por exemplo, nossas praias.

MARAGOGI NEWS – Recentemente, o Hotel Fazenda Marrecas fechou suas portas. Por que o nosso turismo rural não dá certo?
DIEGO VASCONCELOS – Porque ele concorre internamente com um produto muito forte no qual agrada muito mais o perfil do turista brasileiro, que é o turismo de Sol e Mar. Porém, se for trabalhado em mercados e públicos certos, e se tiver políticas públicas adequadas, acredito que pode funcionar.

MARAGOGI NEWS – Partindo do princípio de que Maragogi não oferece grandes atrativos turísticos, não é uma cidade muito cara para o turista?
DIEGO VASCONCELOS – Analisando sobre nossa ótica de nativo que acompanhou toda a elevação dos preços dos últimos anos, a gente realmente acha caro. Mas basta nós sairmos pra viajar e conhecer outros destinos, para aceitarmos que não somos um destino caro, que estamos na média.

MARAGOGI NEWS – Com exceção do Festival da Lagosta, qual outro grande atrativo, turístico ou cultural, tem Maragogi para atrair o turista mais elitizado?
DIEGO VASCONCELOS – Acredito que, se forem lapidados, o festival Literário, o Carnaval, o São João e os Festejos Natalinos podem trazer bons resultados.

MARAGOGI NEWS – Qual o maior pecado do nosso turismo?
DIEGO VASCONCELOS – Falta de cooperação, união e mais participação do setor privado e ausência de infraestrutura básica.

Diego, juntamente com outros empresários da Região Norte, em reunião com o secretário de Segurança Pública de Alagoas.

MARAGOGI NEWS – Maragogi é uma cidade bonita?
DIEGO VASCONCELOS – Não! É uma cidade com paisagens bonitas.

MARAGOGI NEWS – Como vai nossa orla marítima?
DIEGO VASCONCELOS – Apesar de já ter sido melhorada, ainda se encontra decadente, inacabada e sem ordenação adequada.

MARAGOGI NEWS – O senhor tem participado das oficinas do famigerado Projeto Orla? Se sim, como será feita a revitalização do nosso maior cartão postal? O senhor concorda com as mudanças apresentadas no projeto?
DIEGO VASCONCELOS – O projeto orla vem sendo construído de forma coletiva através de suas oficinas, nelas, foram levantados vários problemas e soluções, entre eles, construções irregulares, línguas sujas desaguando no mar, excesso de embarcações estacionadas na faixa da areia etc. Concordo com as necessidades dessas mudanças, pois a orla é nosso cartão de visita, não dá pra permitir esse desordenamento em que ela se encontra hoje.

MARAGOGI NEWS – O turismo tem sido o eixo da economia de Maragogi. Nossa mão-de-obra é qualificada?
DIEGO VASCONCELOS – Apesar dos investimentos que já foram feitos na qualificação de nossa mão-de-obra, ainda deixamos a desejar em nosso atendimento geral.
 
MARAGOGI NEWS – Alguns turistas reclamam nas redes sociais, dizendo-se decepcionados com a cidade, que não é nada daquilo que se mostra... O produto Maragogi está aquém da cidade Maragogi? O que pode ser feito para transformar Maragogi numa cidade digna de todo marketing que lhe é feito?
DIEGO VASCONCELOS – Temos paisagens únicas, mas pecamos em nossa infraestrutura e ordenamento de nossa cidade. A gente vende o destino Maragogi por sua exuberância natural, só que quando chegam aqui, os turistas se deparam com várias praias impróprias para banho, devido à ausência de saneamento básico, entre outras coisas. E falta ordenamento do uso do solo, na faixa da orla, ambulantes etc. A iniciativa privada construiu seus equipamentos turísticos, mas o poder público não tem acompanhado essa demanda, principalmente no que diz respeito à nossa infraestrutura. É inadmissível vendermos um destino pelas suas belezas naturais, preservação ambiental, e termos várias praias impróprias para banho.

MARAGOGI NEWS – Segundo o IMA (Instituto do Meio Ambiente), Maragogi apresenta alguns trechos de mar poluídos. Esse parece ser o maior tabu de uma cidade que atrai o turista pelas belas praias. O senhor tem esperança de que essa situação um dia tenha solução?
DIEGO VASCONCELOS – Sim! Por que sou movido pela esperança, mas a maioria das pessoas já não acredita mais, devido à má atuação de nossos políticos, onde só priorizam obras que os convém.

MARAGOGI NEWS – O turista que vem a Maragogi sempre volta?
DIEGO VASCONCELOS – Deveria! Mas infelizmente não conseguimos obter o retorno de muitos visitantes.

Mais notícias

Comentários

Carregando

Assine nossa newsletter e
receba as principais notícias por e-mail

Siga o Maragogi News nas redes sociais