Promotora de Maragogi pede para que Simone Leite, proprietária do catamarã, e o ex-prefeito Marcos Madeira sejam ouvidos no inquérito sobre a tragédia que causou a morte de duas turistas no mar de Maragogi

Embarcação operava irregularmente

(Foto: GBM (capa) e cortesia).

A respeito do catamarã com 56 passageiros, entre adultos, idosos e crianças, que afundou no mar de Maragogi, no fim da manhã deste sábado, 27, a representante do Ministério Público em Maragogi, promotora Francisca Paula de Jesus Santana, disse que, apesar de haver um TAC para que o município se comprometesse a não mais deixar emitir nenhum Alvará, no final do mandato da gestão de Henrique Peixoto, foi editado um Decreto aumentado o número de escunas, catamarãs, lanchas e serviços. O fato aconteceu em meados de 2016. No começo da gestão de Sérgio Lira, em 2017, esse Decreto foi revogado e o TAC voltou a ter validade.  

“Houve um mandado de segurança requerido pelos proprietários de catamarãs, que entraram em descumprimento do TAC, e esse mandado de segurança ficou com liminar até o final do ano passado, foi jugado e denegada a ordem”, disse a promotora. “Transitou em julgado e eles não recorreram. Diante disso, o MP anexou o TAC à sentença denegatória e a multa da Secretaria de Meio Ambiente, e notificou exatamente a proprietária Simone Leite, para que ela não procedesse mais aos passeios.”

Simone alega ter uma liminar do Tribunal de Justiça. Só que essa liminar, segundo a promotora, tem outro objeto: é para cancelar dois decretos, e não para emitir Alvarás.  

Acerca das providências que o Ministério Público tomará, Francisca Paula informou que ligou para a delegacia de polícia Maragogi e orientou para que fosse pedida a prisão preventiva das pessoas responsáveis pela embarcação. Uma delas seria Simone Leite, oficialmente a dona do catamarã. O delegado já instaurou Inquérito Policial e todos serão chamados a depor.

Ainda de acordo com a promotora, apesar de o catamarã estar em nome de Simone Leite, há informações de que o verdadeiro dono seria o ex-prefeito de Maragogi Marcos Madeira. "Todos dizem que ele é o verdadeiro dono da embarcação", concluiu a promotora.  

O ex-prefeito de Maragogi, Marcos Madeira, nega ser proprietário do catamarã. 

Mais notícias

Comentários

Carregando

Assine nossa newsletter e
receba as principais notícias por e-mail

Siga o Maragogi News nas redes sociais