Canudinho plástico: pequenos lixos e grandes problemas

No mundo, são consumidos mais de 1 bilhão de canudinhos por dia, o que daria para dar 5 voltas na Terra



Longe de ser o principal problema quando o assunto é poluição por plásticos, o canudo funciona como uma "porta de entrada" para discussões mais profundas, por ser um item dispensável no consumo diário, podendo ter um apelo mais significativo.
 
O canudo foi pensado no final do século XIX nos Estados Unidos. Na época, uma bebida chamada mint julep, uma mistura de uísque, açúcar e menta era consumida com canudos de capim, porque eram servidas extremamente geladas. O capim deixava a bebida com um gosto diferente e um norte-americano, dono de uma fábrica de piteiras de papel, Marvin Stone, decidiu criar os canudinhos de papel em 1888.  E foi assim que eles ficaram cada vez mais populares, até serem feitos de plástico.
 
Para você ter ideia do seu uso na atualidade, só nos EUA, são consumidos (e descartados) 500 milhões de canudos por dia! No mundo, são mais de 1 bilhão, o que daria para dar 5 voltas na Terra.  O grande problema dos canudinhos, além de serem feitos de plástico, claro, é que são confundidos pelos animais com comida, e para sua produção, consomem petróleo, uma fonte não renovável. Fora seu tempo de uso pelas pessoas, que é muito curto – cerca de quatro minutos, mas podendo levar até mil anos para se decompor no meio ambiente.
 
Por isso, antes de utilizar o canudinho de plástico, pense nestes motivos:
1. Os canudos representam 4% de todo o lixo plástico produzido no mundo;
2. São feitos de polipropileno e poliestireno e, portanto, não são biodegradáveis, podendo levar até mil anos para se decompor no meio ambiente;
3. Os canudinhos plásticos são uma grande fonte de formação de microplástico, que se caracteriza por ser um dos principais poluentes dos oceanos;
4. Mais de 8 milhões de toneladas de resíduos vão parar nas águas todos os anos e a maior parte deles é o plástico. O canudinho está entre os 10 materiais mais encontrados durante recolhimentos de mutirões realizados em praias;
5. A quantidade de plástico que chega aos mares excede a quantidade de algas marinhas;
6. Cerca de 100 mil animais marinhos morrem por conta do descarte incorreto do plástico na natureza;
7. 44% de todas as espécies de aves marinhas e 22% de todos os cetáceos já ingeriram o plástico alguma vez na vida.
 
Existem diversas formas sustentáveis de continuar usando o canudinho. Troque o de plástico por um canudinho de vidro, papel, macarrão, comestível, metálico ou beba direto no copo. Reflita sobre seu papel como cidadão e sua responsabilidade com o meio ambiente. Algumas cidades do Brasil já possuem lei para a proibição dos canudinhos de plástico, que é importantíssima para punir aqueles que não a compreendem e respeitam. Por isso, também cobre dos responsáveis a existência de leis como estas em seu município. Mas, antes de tudo, comece por você, modifique seus hábitos e contribua com a natureza.
 
Roberta Carvalho
Bióloga 59.315/08
Gestora Ambiental
MBA em Liderança, Inovação e Gestão

Mais Notícias

Coment?rios

Carregando

Assine nossa newsletter e
receba as principais notícias por e-mail

Siga o Maragogi News nas redes sociais