Jovem negro é agredido e torturado em supermercado de Maceió, após ser acusado injustamente de furto

Vítima que trabalha como jardineiro, preferiu não se identificar, mas afirma que caso aconteceu após ser acusado injustamente por furto



Um jovem negro de 19 anos foi agredido e torturado dentro das dependências do supermercado GBarbosa, localizado nas imediações da Feirinha do Tabuleiro do Martins, na parte alta de Maceió. O caso ocorreu neste sábado (21), um dia após o feriado da Consciência Negra e dois dias depois do assassinato de Beto Freitas, que chocou o país no Carrefour de Porto Alegre (RS).

A vítima, que trabalha como jardineiro, preferiu não se identificar, mas aceitou conversar com a reportagem do CadaMinuto.  Ele contou que foi ao supermercado por volta das 10h30 da manhã, levando R$ 1.090 em espécie para comprar um celular e quando pegou o aparelho para olhar, um homem o abordou dizendo ser policial e o levou até uma sala.

No Boletim de Ocorrência (BO) registrado na Central de Flagrantes, no bairro do Farol, o jardineiro revelou que foi agredido, filmado e obrigado a confessar que tinha furtado o aparelho para não sofrer mais agressões. 

À reportagem, ele detalhou que teve o dinheiro e o relógio tomados antes de apanhar várias vezes no rosto e que o torturaram com um saco plástico na cabeça. As agressões só pararam com a chegada de uma guarnição da Polícia Militar ao local.

“Nas imagens da câmera do supermercado, a policial que esteve lá viu que o celular foi furtado, mas por outra pessoa, não por mim. Ela me devolveu o dinheiro e o relógio, que eles quebraram, e me liberou”, prosseguiu, dizendo acreditar que o homem que o agrediu é segurança da empresa. 

Acompanhado do pai, ontem mesmo a vítima prestou queixa contra o supermercado e realizou também exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). Ainda abalado, ele disse querer apenas “que a justiça seja feita” e demonstrou alívio, pois, “apesar da humilhação sofrida, poderia ter ocorrido o pior”.  

Advogado do jovem, Basile Christopoulos repudiou a violência contra negros no país e falou à reportagem que nesta segunda-feira (23) irá acompanhar o cliente ao Ministério Público Estadual, à Ordem dos Advogados do Brasil seccional Alagoas e à Delegacia-Geral da Polícia Civil para denunciar o caso e cobrar providências. 

Cada Minuto

Mais Notícias

Coment?rios

Carregando

Assine nossa newsletter e
receba as principais notícias por e-mail

Siga o Maragogi News nas redes sociais