Lutadores de Jiu-jítsu maragogienses buscam patrocínio

Eles seguem subindo ao pódio em campeonatos regionais

(Fotos: arquivo pessoal.)
 
Jiu-jítsu, a arte marcial japonesa que utiliza uma série de diferentes técnicas e golpes corporais com o objetivo de derrotar ou imobilizar o oponente, tem seus representantes em Maragogi. O endereço deles é na academia Max Team, localizada no Conjunto Adélia Lyra, região central da cidade.  
 
Treinados pelo mestre Paulo Max, pernambucano da cidade de São José da Coroa Grande, os trinta e dois lutadores levam a modalidade esportiva a sério e já participaram de alguns campeonatos regionais, apesar da falta de patrocínio.
 
É o caso de Wellington Azevedo, de 23 anos. Lutador há três anos, ele tem se destacado nos campeonatos que disputou. Categoria peso-pesado, já ganhou o Campeonato Porta Fechada, em Maceió, e gostaria de ter participar do mundial. Receia não realizar seu sonho por falta de patrocínio.
 
“Único patrocínio que tenho é da Clínica Reabilite, (http://www.maragoginews.com.br/noticia/especial/738580-maragogi-ganha-um-centro-integrado-de-saude.html), da minha querida amiga Andreza Luna”, lamenta Wellington, o Dipezão. “Mas, em breve, terei o apoio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer e da Secretaria de Turismo de Maragogi.” O lutador ganha a vida como marinheiro de um catamarã que opera nas piscinas naturais de Maragogi e ainda compõe o grupo de dança do Hotel Salinas.
 
Outros lutadores nativos que sempre sobem ao pódio nos campeonatos são Fernando Denis, o Pretinha, do povoado de São Bento, que também já ganhou na categoria peso pesado o primeiro lugar de Alagoas, e César Pitbull, de Maragogi, esse na categoria peso leve.

Mais notícias

Comentários

Carregando

Assine nossa newsletter e
receba as principais notícias por e-mail

Siga o Maragogi News nas redes sociais